Esplora queste idee e molte altre!

Sempre!

Sempre!

Enquanto durar

Enquanto durar

Mário Quintana, meu poeta preferido.

Mário Quintana, meu poeta preferido.

Antônio Botto!

Antônio Botto!

(Estranherismos) por zack magiezi

(Estranherismos) por zack magiezi

"Querido Coração... Só estou escrevendo para informa-lhe que a partir de hoje estou desistindo de todas as lutas, batalhas e guerras que costumávamos enfrentar juntos. Por favor, não leve para o lado pessoal, mas não dá para continuar nesta situação sabendo que meu sofrimento será irreversível.[...]"

"Querido Coração... Só estou escrevendo para informa-lhe que a partir de hoje estou desistindo de todas as lutas, batalhas e guerras que costumávamos enfrentar juntos. Por favor, não leve para o lado pessoal, mas não dá para continuar nesta situação sabendo que meu sofrimento será irreversível.[...]"

Bem assim…

Bem assim…

Fernando Pessoa                                                                                                                                                     Mais

Fernando Pessoa Mais

Não interessa qual é sua religião. Nem se você tem religião. Nem precisa acreditar em DEUS. A fé é o poder de canalizar sua energia interior para algo que possa lhe fazer bem. É uma lanterna que podemos utilizar quando estamos na escuridão. Um Ateu pode ter fé, em si mesmo, na sua capacidade de ir para frente. Porque quem tem fé, tem uma força a mais para acreditar que vale a pena seguir adiante.

Não interessa qual é sua religião. Nem se você tem religião. Nem precisa acreditar em DEUS. A fé é o poder de canalizar sua energia interior para algo que possa lhe fazer bem. É uma lanterna que podemos utilizar quando estamos na escuridão. Um Ateu pode ter fé, em si mesmo, na sua capacidade de ir para frente. Porque quem tem fé, tem uma força a mais para acreditar que vale a pena seguir adiante.

Este fragmento pertenece a el poema ``Eu sou do tamanho do que Vejo´´ del libro ``O guardador de rebanhos´´ escrito por Fernando Pessoa bajo el heterónimo de Alberto Caeiro.Supuestamente un hombre nacido en Lisboa en 1889 que no salió del campo,no recibió educación ni desempeño profesión alguna hasta su muerte en 1915.Dicho autor es reconocido como uno de los más importantes heterónimos de Fernando Pessoa.

Este fragmento pertenece a el poema ``Eu sou do tamanho do que Vejo´´ del libro ``O guardador de rebanhos´´ escrito por Fernando Pessoa bajo el heterónimo de Alberto Caeiro.Supuestamente un hombre nacido en Lisboa en 1889 que no salió del campo,no recibió educación ni desempeño profesión alguna hasta su muerte en 1915.Dicho autor es reconocido como uno de los más importantes heterónimos de Fernando Pessoa.

Pinterest
Cerca